Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

A Criação (Gênesis 1-2): Parte F (E disse Deus)

E disse Deus: Haja luz; e houve luz (Gênesis 1:3)
Ensinou o Profeta Joseph Smith: “É pelas palavras (…) [que] todo ser opera quando opera pela fé. Deus disse: ‘Haja luz; e houve luz’. Josué falou, e as grandes luzes que Deus havia criado ficaram paradas. Elias, o profeta, ordenou, e os céus se contiveram pelo espaço de três anos e seis meses, de modo que não choveu. (…) Tudo isso foi feito pela fé. (…) A fé, portanto, opera pelas palavras; e com [palavras] suas obras mais poderosas foram e serão realizadas” [1]

O Livro de Abraão amplia o entendimento a esse respeito: " E os Deuses vigiaram aquelas coisas que eles haviam ordenado, até elas obedecerem."(Abraão 4:18). Portanto, após os "Deuses" ordenarem aos elementos (matéria-prima da Criação) eles obedeceram. Essa ordem foi literalmente um comando vocal.
Deus fala. Ele fala todos os idiomas, pois conhece todas as línguas [2]. Entretanto, possui uma linguagem pura e impoluta - a qual, a partir da Torre de Babel, se pe…

Comunismo e Evangelho de Jesus Cristo

Este artigo não pretende explorar de modo demasiado a teoria econômica decorrente das ideias de Karl Marx. Nem mesmo pretende comparar exaustivamente a doutrina do Evangelho - especialmente no que tange a Lei da Consagração - com a filosofia marxista. Entretanto, este artigo debaterá se as ideias de Marx são ou não compatíveis com os ensinamentos do Evangelho Restaurado de Jesus Cristo. Assim nos lançaremos na discussão procurando compreender suficientemente bem quem foi Karl Marx, qual sua filosofia e que influencia suas ideias tiveram (e tem) no mundo. Em paralelo apresentaremos a doutrina da Lei da Consagração e seu modus operandi na dispensação passada e na atual (conhecida como Ordem Unida). Por derradeiro compararemos o evangelho e a doutrina comunista de Marx - procurando pontos em comum e diferenças. Como todos os artigos deste site, este não é uma obra acadêmica e por isso buscou-se o máximo de didática e simplificação.
QUEM FOI KARL MARX? Karl Marx nasceu em 1818 em Trier, P…

06/01/2016 teremos um novo Teologia Mórmon

Anarquismo e Evangelho

TEXTO: LUCAS GUERREIRO

Não pretendo fazer um estudo completo sobre o anarquismo e o evangelho, mas apenas traçar algumas linhas de consideração que permitirão, especialmente os jovens, entenderem que o evangelho não combina com o anarquismo, e, portanto deve ser refutado.
O anarquismo prega uma ordem sem sistema de governo, sem Estado, sem autoridade. A maioria dos anarquistas diz que a verdadeira liberdade humana advirá com o total desprendimento dos sistemas jurídicos, religiosos e legais. Eles também defendem que a religião e a moralidade (tal como conhecemos) deverão ser totalmente extintas para que haja paz, igualdade e liberdade.
Há um ponto de verdade na teoria do anarquismo, pois em uma condição Celestial não há necessidade de Estado. Quando a Terra for celestializada seremos todos iguais e participantes do dom celestial (semelhante aos nefitas de 4 Néfi 1:3). Cristo ainda será nosso Rei Eterno, mas seremos como Ele, reis e sacerdotes para sempre – portanto, pode-se dizer que…

A Criação (Gênesis 1-2): Parte G (Haja luz)

E disse Deus: Haja luz; e houve luz (Gênesis 1:3)
A luz descrita neste versículo não se refere à luz física proveniente do Sol e dos astros luminosos – pois tais são mencionados apenas em versículos posteriores (Gênesis 1:14-18). A luz indicada neste versículo consiste no poder de Deus: em uma energia divina que possibilita a organização e manutenção de toda Criação. Em outras palavras, neste momento inicial da Criação, Deus irradiou sua “luz”, “seu poder”, sua “ordem” sobre a extensão na qual seria criada a Terra.

A luz de Deus é a fonte primária de toda luz [1]. Essa energia divina é conhecida como “Espírito de Deus” ou “Luz de Deus”. As escrituras da restauração chamam-na de “Luz de Cristo”[2]. É uma manifestação da glória de Deus [3].
A Luz de Cristo é uma “energia divina, poder ou influência [4] que procede de Deus através de Cristo e dá vida e luz a todas as coisas. É a lei pela qual todas as coisas são governadas no céu e na Terra (D&C 88:6–13). Ela também ajuda as pessoas …

Os Profetas e o Sacerdócio no Velho Testamento - parte 1

Millet, Robert L., "Prophets and Priesthood in the Old Testament (Os Profetas e o Sacerdõcio no Velho Testamento)" em Sperry Symposium Classics: The Old Testament, redação de Paul Y. Hoskisson (Provo e Salt Lake City: Religious Studies Center, Brigham Young University, e Deseret Book 2005), 48-68.
Texto: Robert L. Millet Tradução:BYU Religious Studies Center  Atualização: Teologia Mórmon
Robert L. Millet é professor de escrituras antigas e outrora director de Educação Religiosa da Universidade Brigham Young.
__________________

A voz da profecia é uma voz de autoridade, autoridade divina. Aqueles que são chamados para falar pelo Senhor Jeová recebem poderes de Jeová e são ordenados a sua santa ordem. Por isso convém dedicar nossa atenção e estudo à natureza da autoridade profética, ou seja, o poder do santo sacerdócio entre os profetas de antigo Israel.
O Profeta Joseph Smith escreveu o seguinte em 1842: “Cremos na mesma organização que existia na Igreja Primitiva, isto é, apósto…