Pular para o conteúdo principal

A Criação (Gênesis 1-2) - parte A

No princípio criou Deus o céu e a terra. (Gênesis 1:1)

No princípio – Quando Moisés recebeu a revelação da Criação da Terra teve a árdua tarefa de descrevê-la com símbolos terrenos. Imagine! Deve ter sido uma tarefa imensa! Ele precisou usar palavras comuns para explicar o extraordinário. Moisés estava ciente de que o povo de Deus, que receberia seu relato, precisava compreender o suficiente da Criação para achegar-se ao Salvador. Eles precisam saber que Deus criou a Terra, que o fez de maneira ordenada e sábia, que fez o homem e a mulher à Sua semelhança e que descansou no sétimo dia. A intenção do profeta, portanto, não era a de dar detalhes sobre “como” a Terra foi criada – e nem “quando”.

A expressão “no princípio” não deduz a priori um ponto de partida ou um inicio do nada [1]. “No princípio” trata-se da palavra mais adequada encontrada por Moisés (ou pelos copistas e tradutores) para descrever um momento na eternidade, uma divisão entre eventos, na qual a obra de criação começou para nós. Mas veja: até essa ideia (de momento na eternidade) é absolutamente inconveniente para mentes mortais como a nossa. Gostamos de considerar apenas coisas que somos capazes de entender. Nosso raciocínio nos leva a pensar que se na eternidade não há tempo, como, então, se pode falar de um “principio”? Neste contexto a declaração do Presidente Brigham Young é oportuna:

“Quando houve um começo? Jamais houve um; se houvesse, haveria um fim; porém jamais houve um começo; por conseguinte, nunca haverá um fim; assim é a eternidade. Quando falamos a respeito do inicio da eternidade, é uma conversa bastante simplória, e vai muito além da capacidade humana.” (Discursos de Brigham Young, pg. 47)

Moisés precisou ser transfigurado e arrebatado e conversar com Deus (Moisés 1) para entender coisas que os olhos não viram e que não subiram no coração do homem (I Coríntios 2:9). Afinal há coisas que se discernem espiritualmente (I Coríntios 2:14). E não podemos chegar ao mesmo entendimento do profeta sem passar pela mesma experiência.

Embora não entendamos tudo sobre a Criação, nem mesmo qual a abrangência e significado do termo “princípio” na obra criadora – podemos saber que houve uma criação e regozijar-nos neste fato. O Senhor quer que saibamos sobre Sua Criação, pois concedeu-nos três relatos da Criação nas escrituras: Gênesis 1-2, Moisés 2-3 e Abraão 4-5; além do relato do Templo [2].

Todos os relatos da criação usam a expressão “princípio”. Todavia, sabemos, por outras escrituras, que a Terra não foi à obra inaugural de Deus (Moisés 1:33, Hebreus 11:3). Assim, “princípio” nos relatos da Criação se referem ao inicio da Dispensação desta Terra. Trata-se de um ponto inaugural para os filhos de Deus que entrariam no Segundo Estado. O Senhor disse a Moisés: “far-te-ei um relato apenas sobre esta Terra e seus habitantes. Pois eis que há muitos mundos que pela palavra de meu poder passaram. E há muitos que agora permanecem e são inumeráveis para o homem; mas todas as coisas são enumeráveis para mim, pois são minhas e eu conheço-as. (...) Os céus, eles são muitos e são inumeráveis para o homem; mas são enumeráveis para mim, pois são meus. E como uma terra com seu céu passará, assim outra surgirá; e não há fim para minhas obras nem para minhas palavras. Pois eis que esta é minha obra e minha glória: Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem. E agora, Moisés, meu filho, falar-te-ei a respeito desta Terra na qual estás; e escreverás as coisas que te direi.” (Moisés 1:35-40, sublinhei).

_____________

[1] “Os primeiros comentários judeus e cristãos sobre a criação presumiam que Deus havia organizado o mundo a partir de materiais pré-existentes, salientando a bondade de Deus na formação de uma ordem que mantivesse a vida., mas a incursão de novas ideias filosóficas no século II levou ao desenvolvimento de uma doutrina que Deus criou o universo ex nihilo — “do nada”. Isso acabou se tornando o ensino dominante sobre a criação dentro do mundo cristão. A fim de salientar o poder de Deus, muitos teólogos justificavam que nada poderia ter existido antes Dele. Tornou-se importante em círculos cristãos afirmar que Deus estava completamente sozinho originalmente.
A criação “ex nihilo” ampliou o abismo percebido entre Deus e os homens. Tornou-se menos comum ensinar que as alma humanas já existiam antes do mundo ou que poderiam herdar e desenvolver os atributos de Deus em sua totalidade no futuro. Gradualmente, como a depravação da humanidade e a imensa distância entre o criador e criatura foi salientada cada vez mais, o conceito de deificação se enfraqueceu na cristandade ocidental, apesar de ainda continuar a ser o dogma central da ortodoxia oriental, um dos três maiores ramos do cristianismo.” (Tópicos do Evangelho: “Tornar-se como Deus”, https://www.lds.org/topics/becoming-like-god?lang=por)

[2]  Nos Templos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias os membros fiéis recebem uma investidura de poder e conhecimento, que inclui elementos do Plano de Salvação, como a Criação, a Queda e a Expiação. “Em sentido geral, é um dom de poder que provém de Deus. Os membros dignos da Igreja podem receber uma investidura de poder por meio das ordenanças do templo, que lhes dão as instruções e os convênios do Santo Sacerdócio requeridos para se alcançar a exaltação. A investidura inclui instruções acerca do plano de salvação.” (Guia para o Estudo das Escrituras “Investidura, Investir”)

Postagens mais visitadas deste blog

Uma ponderação sobre a excomunhão de uma Autoridade Geral

Com grande tristeza, por meio do porta-voz da Igreja, Eric Hawkis, soubemos de que James J. Hamula foi excomungado da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Veja a notícia no site oficial da Igreja aqui. James J. Hamula [1] serviu por quase nove anos como uma Autoridade Geral da Igreja, um membro do Quorum dos Setentas. Fazia 28 anos que nenhuma Autoridade Geral era excomungada da Igreja. Certamente a notícia é triste [2], mas ensina lições importantes – que em vez de abalar, podem fortalecer a fé na obra de Deus. Recomendo a leitura deste artigo antes de prosseguir: https://mormonsud.net/voltando-a-igreja/pensamentos-sobre-a-excomunhao/

OS LÍDERES NÃO SÃO PERFEITOS, MAS A OBRA DE DEUS É Fiquei um pouco aborrecido com o sensacionalismo criado em torno da notícia da excomunhão do irmão Hamula. Sei que é algo incomodo, até perturbador. Alguns ficaram preocupados com a imagem da Igreja, outros, mais sensíveis, com a exposição do irmão Hamula e de sua família. Evidentemente n…

Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?

Joseph Smith é o Profeta da Restauração. Quando era apenas um jovem, um anjo lhe disse que seu "nome seria considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que entre todos os povos se falaria bem e mal de [seu] nome." [1]
Não é de se admirar que falem tão mal sobre o Profeta. Comentando sobre isso, o Elder Neil L. Andersen, do Quorum dos Doze Apóstolos, disse:
“Seria de estranhar o mal que é falado contra ele [Joseph Smith]? Do Apóstolo Paulo foi dito que era louco e delirava. Nosso Amado Salvador, o Filho de Deus, foi rotulado de comilão, beberrão e endemoniado. O Senhor disse a Joseph, quanto a seu destino:
“Os confins da Terra indagarão a respeito de teu nome e tolos zombarão de ti e o inferno se enfurecerá contra ti;
Enquanto os puros de coração e os prudentes (…) e os virtuosos procurarão (…) bênçãos sob tuas mãos constantemente”.
Por que o Senhor permite que o mal seja falado ao mesmo tempo que o bem? Um dos motivos é que a oposição às coisas de Deus …

Nepotismo e o Evangelho de Jesus Cristo

Nepotismo é definido como favorecimento de parentes em cargos de responsabilidade. Uma pessoa que possui determinada posição ou cargo de poder beneficia os que possuem vínculo de parentesco - com um emprego, um cargo, um função, uma posição de destaque ou uma responsabilidade. Trata-se de uma prática ruim, pois geralmente desconsidera o mérito e os talentos para levar em consideração os laços familiares.


O evangelho de Jesus Cristo - que é o Plano de Deus para salvação do homem - ensina que todos os homens são iguais perante Deus (Jó 34:19, Atos 10:34, D&C 38:16 e 26) - irmãos e irmãs - porém, possuem talentos diferentes  (Mateus 25:15) - de modo que podem contribuir no Reino de Deus de maneira diversa (1 Coríntios 12:12-27).

Deus organizou Sua Igreja com diversos cargos para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, [para que] todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida …