Pular para o conteúdo principal

A Criação (Gênesis 1-2) - Parte B

No princípio criou Deus o céu e a terra. (Gênesis 1:1)

CRIOU Deus é o Criador do Universo. Alma, antigo profeta nefita, ao enfrentar um filosofo anti-cristo chamado Corior, que exigia um sinal extraordinário como prova da existência de Deus, disse: “Tu já tiveste muitos sinais; queres ainda tentar a teu Deus? Queres ainda que te mostre um sinal, quando tens o testemunho de todos estes irmãos, assim como o dos santos profetas? As escrituras estão diante de ti, sim, e todas as coisas mostram que existe um Deus; sim, até mesmo a Terra e tudo que existe sobre a sua face, sim, e seu movimento, sim, e também todos os planetas que se movem em sua ordem regular testemunham que existe um Criador Supremo.” (Alma 30:44)

Assim aprendemos que há um Criador pelo (1) testemunho dos irmãos da Igreja e dos santos profetas; (2) pelas escrituras; e (3) ao contemplar à própria Criação – a Terra e os Céus. [1] Podemos adquirir um conhecimento real sobre o Criador e Seu Plano misericordioso que envolveu a Criação deste belo lar terreno para nosso beneficio eterno.

A criação não foi um acidente. A Terra não foi criada por acaso e a humanidade não surgiu pela combinação acidental de certos elementos ao longo de milhões de anos. Um escritor ponderou:

“Quando você puder jogar um monte de tijolos numa esquina, e eu puder observá-los organizarem-se para formar uma casa—quando você puder derramar um punhado de molas, rodas e parafusos em minha mesa, e eu puder observá-los juntarem-se para formar um relógio—[então] será mais fácil para mim acreditar que todos esses milhares de mundos poderiam ter sido criados, equilibrados e colocados em movimento em suas diversas órbitas, tudo isso sem a ação de nenhuma inteligência dotada de propósito.

Além disso, se não existe inteligência no universo, então o universo criou algo maior do que ele próprio, pois ele criou você e eu”. (Bruce Barton, E. Ernest Bramwell, comp. Old Testament Lessons [curso do seminário de 1934], pg. 4)

O Elder Russell M. Nelson declarou:
“Testifico que a Terra e toda a vida que nela existe são de origem divina. A Criação não aconteceu por acaso. Ela não foi feita do nada. E não é por mero acaso que a mente humana e as mãos humanas são capazes de construir edifícios ou criar computadores. Foi Deus quem nos fez, não nos criamos a nós mesmos. Somos o Seu povo! A própria Criação testifica a existência de um Criador. Não podemos negar o que há de divino na Criação. Sem nosso grato reconhecimento da mão de Deus na Criação, seríamos tão insensíveis em relação a nosso provedor quanto os peixinhos de um aquário. Com profunda gratidão, repito as palavras do salmista, que declarou: “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas” (Salmos 104:24) (“A criação”, Conferência Geral, abril de 2000)

Não temos os detalhes da criação. O Elder Russell M Nelson também disse: “Embora nossa compreensão da Criação seja limitada, sabemos o suficiente para reconhecer seu significado sublime. E esse conhecimento será ampliado no futuro. As escrituras declaram: “No dia em que o Senhor vier, ele revelará todas as coisas – Coisas passadas e coisas ocultas que nenhum homem conheceu, coisas da Terra pelas quais foi feita e seu propósito e seu fim – Coisas muito preciosas, coisas que estão no alto e coisas que estão embaixo, coisas que estão dentro da terra e sobre a terra e nos céus.” (D&C 101:32-34)

Sim, receberemos mais luz e conhecimento. O Senhor disse: “E também, se existem limites determinados para os céus ou para os mares, ou para a terra seca, ou para o sol, lua, ou estrelas – Todos os tempos de suas revoluções, todos os dias, meses e anos (…); e todas as suas glórias, leis e tempos determinados serão revelados nos dias da dispensação da plenitude dos tempos.”(D&C 121:30-31) (“A criação”, Conferência Geral, abril de 2000)

O motivo pelo qual a Terra foi criada.  Néfi disse simplesmente: “Eis que o Senhor criou a Terra para que fosse habitada; e criou seus filhos para que a habitassem” (1 Néfi 17:36).

Sobre isso o Presidente Dieter F. Uchtdorf, disse: “Nós somos a razão pela qual Ele criou o Universo! (…) Este é um paradoxo do homem: comparado com Deus, o homem não é nada; ainda assim, somos tudo para Deus” (“Você É Importante para Deus”, A Liahona, novembro de 2011, pg. 19).

O fato de sabermos que Jesus Cristo criou a Terra para nós porque somos tudo para o Pai Celestial pode ajudar-nos a aumentar o amor que temos por Eles.

“Quão gratos devemos ser por sabermos que um sábio Criador criou a Terra e nos colocou aqui”, disse o Presidente Thomas S. Monson, “para que passássemos por um período de provação, uma oportunidade de provar-nos, a fim de nos qualificar para tudo o que Deus preparou para nós” (“A Corrida da Vida”, A Liahona, maio de 2012, pg. 90).

O Profeta Brigham Young explicou que “quando o Espírito de revelação de Deus inspira um homem, sua mente se abre para contemplar a beleza, ordem e glória da criação desta Terra e de seus habitantes, o objetivo de sua criação e o propósito de Seu Criador ao povoá-la com Seus filhos. Ele pode, então, claramente entender que nossa existência terrena tem por único objetivo a nossa exaltação e restauração à presença de nosso Pai e Deus. (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Brigham Young, pg. 43)

Quem criou a Terra? Passagens como Moisés 2:1, Abraão 3:22–25, 4:1 e João 1:10 dizem-nos que Jesus Cristo, sob a direção do Pai, criou a Terra. Discutiremos isso mais adiante.

O desejo de criar. O próprio desejo de criar que possuímos é um indicio de que somos filhos de Deus. O Presidente Dieter F. Uchtdorf disse que o “desejo de criar é um dos mais profundos anseios da alma humana. Sejam quais forem nossos talentos, estudos ou nossas habilidades, cada um de nós tem um desejo inato de criar algo."

Ele continuou:

"Talvez alguém diga: “Não sou do tipo criativo. Quando canto, sempre estou meio-tom acima ou abaixo da nota. Não consigo traçar uma reta sem uma régua. E a única utilidade prática para o pão que faço em casa é servir de peso de papel ou segurar a porta”.

Se for assim que você se sente, reconsidere, e lembre-se de que você é um(a) filho(a) espiritual do Ser mais criativo do universo. Não é admirável a ideia de que nosso próprio espírito foi moldado por um Deus infinitamente criativo e eternamente compassivo? Pensem nisto: seu corpo espiritual é uma obra-prima, criada com beleza, funções e capacidades muito além do que podemos imaginar.” (“A felicidade é sua herança”, Conferência Geral Outubro de 2008, https://www.lds.org/general-conference/2008/10/happiness-your-heritage).

O Presidente David O. McKay ensinou que “somos escultores da vida, com a alma bruta diante de nós. Cada um de nós está entalhando uma alma” (In Francis M. Gibbons, David O. McKay, Apostle to the World (Apóstolo para o Mundo), (1986), pg. 228).

A palavra “criar”. O termo hebraico que foi traduzido por “criar” significa “formar”, “moldar”, “elaborar”, sempre se referindo a uma atividade divina. O Profeta Joseph Smith explicou:

“Se perguntardes aos cultos doutores que afirmam que o mundo foi feito do nada, responderão: ‘acaso não diz a Bíblia que ele criou o mundo?’ Eles inferem do verbo criar que deve necessariamente ter sido feito do nada. Bem, a palavra ‘criar’ provém do termo ‘baurau’ , que não significa criar do nada; quer dizer organizar; a mesma coisa como se o homem organizasse materiais e construísse um navio. Dali, deduzimos que Deus dispunha de materiais para organizar o mundo dentre o caos – matéria caótica, que é elemento, e no qual habita toda a glória. O elemento existe, desde que ele próprio (Deus) existe. Os puros princípios de elemento são indestrutíveis; podem ser organizados, reorganizados, mas nunca destruídos. Não tiveram um inicio e não poderão ter um fim (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, pg. 341-342).

___________

[1] O testemunho dos santos e dos profetas é adquirido quando, após se ter contato com a Palavra de Deus (através da pregação, leitura de escrituras ou ministração angelical: Romanos 10:17, Alma 37:9, Alma 27:14-15), uma pessoa busca diligentemente (D&C 88:63), com grande desejo (1 Néfi 1:16) e real intenção à verdade (Morôni 10:4). Então, o Espírito Santo, que ensina a “verdade de todas as coisas” revela o mistério (1 Néfi 10:19). Alma contou sua experiência: “Eis que eu vos digo que elas me foram mostradas pelo Santo Espírito de Deus. Eis que jejuei e orei durante muitos dias, a fim de saber estas coisas por mim mesmo. E agora sei por mim mesmo que são verdadeiras, porque o Senhor Deus mas revelou por seu Santo Espírito; e este é o espírito de revelação que está em mim” (Alma 5:46).

Postagens mais visitadas deste blog

Uma ponderação sobre a excomunhão de uma Autoridade Geral

Com grande tristeza, por meio do porta-voz da Igreja, Eric Hawkis, soubemos de que James J. Hamula foi excomungado da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Veja a notícia no site oficial da Igreja aqui. James J. Hamula [1] serviu por quase nove anos como uma Autoridade Geral da Igreja, um membro do Quorum dos Setentas. Fazia 28 anos que nenhuma Autoridade Geral era excomungada da Igreja. Certamente a notícia é triste [2], mas ensina lições importantes – que em vez de abalar, podem fortalecer a fé na obra de Deus. Recomendo a leitura deste artigo antes de prosseguir: https://mormonsud.net/voltando-a-igreja/pensamentos-sobre-a-excomunhao/

OS LÍDERES NÃO SÃO PERFEITOS, MAS A OBRA DE DEUS É Fiquei um pouco aborrecido com o sensacionalismo criado em torno da notícia da excomunhão do irmão Hamula. Sei que é algo incomodo, até perturbador. Alguns ficaram preocupados com a imagem da Igreja, outros, mais sensíveis, com a exposição do irmão Hamula e de sua família. Evidentemente n…

Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?

Joseph Smith é o Profeta da Restauração. Quando era apenas um jovem, um anjo lhe disse que seu "nome seria considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que entre todos os povos se falaria bem e mal de [seu] nome." [1]
Não é de se admirar que falem tão mal sobre o Profeta. Comentando sobre isso, o Elder Neil L. Andersen, do Quorum dos Doze Apóstolos, disse:
“Seria de estranhar o mal que é falado contra ele [Joseph Smith]? Do Apóstolo Paulo foi dito que era louco e delirava. Nosso Amado Salvador, o Filho de Deus, foi rotulado de comilão, beberrão e endemoniado. O Senhor disse a Joseph, quanto a seu destino:
“Os confins da Terra indagarão a respeito de teu nome e tolos zombarão de ti e o inferno se enfurecerá contra ti;
Enquanto os puros de coração e os prudentes (…) e os virtuosos procurarão (…) bênçãos sob tuas mãos constantemente”.
Por que o Senhor permite que o mal seja falado ao mesmo tempo que o bem? Um dos motivos é que a oposição às coisas de Deus …

Nepotismo e o Evangelho de Jesus Cristo

Nepotismo é definido como favorecimento de parentes em cargos de responsabilidade. Uma pessoa que possui determinada posição ou cargo de poder beneficia os que possuem vínculo de parentesco - com um emprego, um cargo, um função, uma posição de destaque ou uma responsabilidade. Trata-se de uma prática ruim, pois geralmente desconsidera o mérito e os talentos para levar em consideração os laços familiares.


O evangelho de Jesus Cristo - que é o Plano de Deus para salvação do homem - ensina que todos os homens são iguais perante Deus (Jó 34:19, Atos 10:34, D&C 38:16 e 26) - irmãos e irmãs - porém, possuem talentos diferentes  (Mateus 25:15) - de modo que podem contribuir no Reino de Deus de maneira diversa (1 Coríntios 12:12-27).

Deus organizou Sua Igreja com diversos cargos para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, [para que] todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida …