Pular para o conteúdo principal

Alguém Já Viu Deus?

Texto: ADRIANO DE JESUS


Há bem poucos registros de ocasiões em que Deus, o Pai, se manifestou ao homem ou falou com ele. No mundo religioso de forma geral, há bastante divergência quanto a este ponto. Os santos dos últimos dias, porém, são categóricos ao afirmar que sim, Deus já foi visto pelo homem, os céus não estão cerrados e que aos que se purificam diante d’Ele, Deus as vezes concede o privilégio de receber sua presença.


Adão e Eva

O primeiro registro da comunicação de Deus com o homem (na esfera terrestre) se encontra no Gênesis; trata-se da criação de Adão e Eva, nossos pais terrenos. A análise desse primeiro registro pode expandir um pouco nossa compreensão da realidade das manifestações de Deus ao homem. Lemos o seguinte:

“ E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança... E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a...” [1].

Este relato feito pelo grande legislador e profeta Moisés, embora nos dê muitas informações sobre a criação de Adão e Eva, não nos fornece os pormenores de como se deu a interação de Deus com eles. Por exemplo: Será que Deus se ocultava numa nuvem ao interagir com eles, fazia-os apenas ouvirem sua voz ou lhes falava claramente, face a face e não por enigmas, de modo que eles pudessem ver que foram criados à imagem e semelhança de Deus?

Essas são apenas algumas perguntas que podem ser feitas a respeito. No entanto, não há motivos claros para crer que Deus tenha se ocultado do homem antes da queda, ocasionada pela ingestão do fruto da “árvore do conhecimento do bem e do mal”, fruto esse que lhes foi proibida ingestão, pois morreriam se o comessem. Por terem comido do fruto, Adão e Eva tornaram-se mortais e foram expulsos do Jardim do Éden. Agora eles estavam física e espiritualmente afastados da presença de Deus devido a sua transgressão. As escrituras afirmam que nada impuro pode habitar na presença de Deus [2], então por que supor que antes de se tornarem carnais, mortais e decaídos, Deus tenha se ocultado fisicamente de Adão e Eva, visto que não conheciam o bem e o mal, ou seja, estavam “num estado de inocência, não sentindo alegria por não conhecerem a miséria; não fazendo o bem por não conhecerem o pecado”? [3]. Podemos crer sem embaraços que Adão e Eva estavam na presença de Deus enquanto no Jardim do Éden, falavam e caminhavam com Ele. Após comerem do fruto proibido eles perderam esse privilégio.


Moisés

Certa vez Arão e Miriã maldisseram a Moisés, pois tinha se casado com uma certa mulher “cusita”. Disseram ainda: “Porventura falou o Senhor somente por Moisés? Não falou também por nós? (...).

“E logo o Senhor disse a Moisés, a Arão e a Miriã: Vós três saí à tenda da congregação. E saíram eles três. Então o Senhor desceu na coluna de nuvem, e se pôs à porta da tenda; depois chamou a Arão e a Miriã e ambos saíram. E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.

Não é assim com o meu servo Moisés que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a semelhança do Senhor...” [4].

Esta passagem nos leva a crer que Moisés, de fato, falara com Deus, o Pai, e via sua semelhança. No entanto, o Deus que se manifestava a Moisés e com quem falava face a face como qualquer fala com seu amigo era Jeová, nome pelo qual o Salvador Jesus Cristo era conhecido na vida pré-mortal [5].

Paulo confirma isso ao se referir aos israelitas de outrora, quando diz: “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar. E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar, e todos comeram de uma mesma comida espiritual, e beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo” [6].


Leí

Leí, o profeta do Livro de Mórmon, pouco antes de sair de Jerusalém teve uma segunda visão enquanto estava em sua casa, na sua cama, dominado pelo Espírito e pelas coisas que já havia visto. Néfi relata: “E estando desta maneira dominado pelo Espírito, foi arrebatado em uma visão e viu os céus abertos e pensou ter visto Deus sentado em seu trono, rodeado de inumeráveis multidões de anjos, na atitude de cantar e louvar a seu Deus” [7].

É interessante a colocação da palavra “pensou” nesta passagem da versão portuguesa do Livro de Mórmon e “thought” em inglês. Esta colocação sugere mais a formulação de ideias e conclusões diante de algo que ele, Leí, estava vendo, pois fora arrebatado em uma visão, do que uma simples imaginação que dispensa um arrebatamento como o de Leí para se ter. Portanto, é adequado dizer que Leí teve uma visão de Deus e, em sua mente formulou e concluiu a ideia de tê-lo visto, podendo ele ou mesmo Néfi dizer: “...Pensou ter visto Deus...”.


Estevão

Lucas se refere a Estevão como homem cheio de fé e do Espírito Santo. Ele fora um dos sete Diáconos escolhidos para cuidar dos assuntos temporais, incluindo a causa das viúvas que eram desprezadas no ministério cotidiano. Este mesmo Estevão, pouco antes de sofrer a morte de um mártir, “estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus; E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus” [8].


Joseph Smith, O Profeta da Restauração

Foi numa bela e clara manhã de primavera do ano de 1820 que Joseph Smith, um jovem com 14 pra quinze anos orou num bosque em busca de respostas. Nesta ocasião, Deus, o Pai e Seu Filho Jesus Cristo lhe apareceram e falaram com ele, responderam suas perguntas e Joseph nunca mais foi o mesmo [9].

Por intermédio de Joseph Smith recebemos a seguinte revelação: “O Pai tem um corpo de carne e ossos tão tangível como o do homem; o Filho também; mas o Espírito Santo não tem um corpo de carne e ossos, mas é um personagem de Espírito. Se assim não fora, o Espírito Santo não poderia habitar em nós” [10]. Jamais algo como o que podemos ler nesta revelação fora dito durante o período compreendido como “A Grande Apostasia”. O que podemos concluir é que somente alguém que tenha visto Deus e tenha conversado com Ele poderia ser capaz de fazer tal declaração.


Uma Escritura Mal Compreendida

O Élder Boyd K. Packer (atual presidente do Quórum dos Doze) ensinou o seguinte: “Todo versículo, seja ele muito citado ou não, deve ser comparado com outros versículos. As escrituras contêm ensinamentos complementares e esclarecedores que proporcionam um conhecimento equilibrado da verdade”[11].

Se seguirmos o conselho do Presidente Packer e tivermos o auxilio do Espírito Santo aquilo que outrora nos pareceu obscuro e difícil de compreender pode tornar-se perfeitamente compreensível.

Lemos o seguinte no primeiro capitulo do livro de João, o amado: “Deus nunca foi visto por alguém...” [12]. Embora a escritura acima afirme que Deus nunca foi visto por alguém, podemos ver pelo que já mostrado até aqui que as coisas não são bem assim.

Joseph Smith ensinou, entretanto, que o Pai se manifesta somente para testificar de Jesus: “Deus nunca foi visto por alguém, a não ser para testificar do filho; pois a não ser por ele, ninguém pode salvar-se” [13].

No capitulo seis do livro de João, podemos ler um versículo que esclarece ainda mais esta passagem de João 1:18 e ainda reforça a possibilidade de ver a Deus: “Não que alguém visse ao Pai, a não ser aquele que é de Deus; este tem visto ao Pai” [14]. E nas “bem aventuranças” podemos encontrar a seguinte declaração do Mestre: “Bem aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus” [15].

Ainda podemos notar que a sentença “...este tem visto ao Pai” está no presente, indicando algo que ocorria com aqueles que eram de Deus e amavam a Deus. Já na declaração do Mestre Jesus nas “bem aventuranças” podemos ver um atributo (pureza de coração) dos que amam a Deus atrelado com a certeza futura de verem-no.


Conclusão

Com tudo isso, podemos concluir que sim, Deus já foi visto pelo homem. Suas manifestações, no entanto, conforme ensinou o profeta Joseph Smith são somente para testificar de Seu Filho Unigênito.


_____________________
Notas

[1] Gênesis 1:26-28

[2] 1 Néfi 10:21; Alma 7:21

[3] 2 Néfi 2:22-23

[4] Números 12:1-8

[5] João 9:56-59; Êxodo 3:14; Isaías 44:6 comparar com Apocalipse 1:4, 8; João 17:5, 24; Colossenses 1:17; Jesus, O Cristo – James E. Talmage, p. 36-39

[6] 1 Coríntios 10:1-9 [7] 1 Néfi 1:8

[8] Atos 7:55-56

[9] Joseph Smith – História 1:1-20

[10] Doutrina & Convênios 130:22

[11] “The Patterno f Our Parentage” – Boyd K. Packer – October, 1984, General Conference

[12] João 1:18; Vida e Ensinamentos de Jesus Cristo e Seus Apostolos, p. 29

[13] João 1:19 – Versão Inspirada de Joseph Smith da King James

[14] João 6:46

[15] Mateus 5:48

Postagens mais visitadas deste blog

Uma ponderação sobre a excomunhão de uma Autoridade Geral

Com grande tristeza, por meio do porta-voz da Igreja, Eric Hawkis, soubemos de que James J. Hamula foi excomungado da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Veja a notícia no site oficial da Igreja aqui. James J. Hamula [1] serviu por quase nove anos como uma Autoridade Geral da Igreja, um membro do Quorum dos Setentas. Fazia 28 anos que nenhuma Autoridade Geral era excomungada da Igreja. Certamente a notícia é triste [2], mas ensina lições importantes – que em vez de abalar, podem fortalecer a fé na obra de Deus. Recomendo a leitura deste artigo antes de prosseguir: https://mormonsud.net/voltando-a-igreja/pensamentos-sobre-a-excomunhao/

OS LÍDERES NÃO SÃO PERFEITOS, MAS A OBRA DE DEUS É Fiquei um pouco aborrecido com o sensacionalismo criado em torno da notícia da excomunhão do irmão Hamula. Sei que é algo incomodo, até perturbador. Alguns ficaram preocupados com a imagem da Igreja, outros, mais sensíveis, com a exposição do irmão Hamula e de sua família. Evidentemente n…

Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?

Joseph Smith é o Profeta da Restauração. Quando era apenas um jovem, um anjo lhe disse que seu "nome seria considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que entre todos os povos se falaria bem e mal de [seu] nome." [1]
Não é de se admirar que falem tão mal sobre o Profeta. Comentando sobre isso, o Elder Neil L. Andersen, do Quorum dos Doze Apóstolos, disse:
“Seria de estranhar o mal que é falado contra ele [Joseph Smith]? Do Apóstolo Paulo foi dito que era louco e delirava. Nosso Amado Salvador, o Filho de Deus, foi rotulado de comilão, beberrão e endemoniado. O Senhor disse a Joseph, quanto a seu destino:
“Os confins da Terra indagarão a respeito de teu nome e tolos zombarão de ti e o inferno se enfurecerá contra ti;
Enquanto os puros de coração e os prudentes (…) e os virtuosos procurarão (…) bênçãos sob tuas mãos constantemente”.
Por que o Senhor permite que o mal seja falado ao mesmo tempo que o bem? Um dos motivos é que a oposição às coisas de Deus …

Nepotismo e o Evangelho de Jesus Cristo

Nepotismo é definido como favorecimento de parentes em cargos de responsabilidade. Uma pessoa que possui determinada posição ou cargo de poder beneficia os que possuem vínculo de parentesco - com um emprego, um cargo, um função, uma posição de destaque ou uma responsabilidade. Trata-se de uma prática ruim, pois geralmente desconsidera o mérito e os talentos para levar em consideração os laços familiares.


O evangelho de Jesus Cristo - que é o Plano de Deus para salvação do homem - ensina que todos os homens são iguais perante Deus (Jó 34:19, Atos 10:34, D&C 38:16 e 26) - irmãos e irmãs - porém, possuem talentos diferentes  (Mateus 25:15) - de modo que podem contribuir no Reino de Deus de maneira diversa (1 Coríntios 12:12-27).

Deus organizou Sua Igreja com diversos cargos para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, [para que] todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida …