Pular para o conteúdo principal

Catolicismo - Introdução

“Católico” quer dizer “universal”. Trata-se, portanto, de uma religião que pretende o mundo inteiro. Assim esta escrito no Compêndio do Catecismo da Igreja Católica: “A Igreja é católica, ou seja, universal, porque nela está presente Cristo. (...) Ela anuncia a totalidade e a integridade da fé; contém e administra a plenitude dos meios de salvação; é enviada em missão a todos os povos, em qualquer tempo e a qualquer que seja a cultura a que pertençam.” (166; Edição Loyola, São Paulo, 2005, pg. 62).

O nome completo da igreja: Igreja Católica Apostólica Romana significa: Igreja – “uma pessoa moral pela própria ordenação divina” na qual “constituída e organizada neste mundo como sociedade, subsiste (...) governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele.” (Código de Direito Canônico da Igreja Católica, Cân. 113 e Cân. 204); Católica – geral, universal; Apostólica – pois reclama autoridade apostólica; e Romana – pois sua sede, o Vaticano, esta dentro de Roma – e seu líder (o Papa) é o bispo de Roma.

O Catolicismo é a religião cristã mais difundida no mundo. O Brasil é o país com mais membros católicos: 11,7% (126,7 milhões) [1] de todos os católicos vivem aqui. Isso representa cerca de 60% da população nacional. Portanto, entender o catolicismo é vital não apenas para refletir sobre a formação cultural do Brasil – mas também entender como as outras religiões e crenças se manifestam e se comportam nesta nação.

O Catolicismo é tão arraigado no Brasil que há vários feriados católicos no calendário nacional (por exemplo: Carnaval, Sexta-Feira Santa, Corpus Christi). Muitos Estados possuem nomes e títulos de personagens importantes no cristianismo: São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo, etc. Segundo o IBGE, 2.500 cidades brasileiras homenageiam santos católicos em seus nomes. [2] É comum encontrar em escolas, tribunais e lugares públicos referências à fé católica (como crucifixos e estatuetas de santos). O “Cristo Redentor”, emblema do cristianismo, é considerado uma das Sete Novas Maravilhas do Mundo. Este grande monumento foi financiado principalmente por católicos e foi inaugurado no Dia de Nossa Senhora Aparecida [3]. Em quase todo município brasileiro, na praça central, encontra-se uma capela ou catedral católica.

Todavia, muitos do que se dizem católicos encontram-se no campo dos “não praticantes” ou “não ativos”, que acabam frequentando a missa (reunião religiosa) uma ou duas vezes por ano. Não obstante, o número de pessoas que se declara católica e que frequenta a Igreja para grandes etapas de sua vida (batismo, casamento, etc.) ainda é alto:

"A prática diminuiu em muitos países de tradição católica: cerca de dois terços em quarenta anos. As causas gerais são conhecidas há algumas décadas. Na sociedade de migração urbana, ritmos de trabalho, secularização cultural, retorno do individualismo. Na Igreja: descrédito da instituição, desfasamento relativamente à sociedade, crise de vocações."

(...) Hoje o catolicismo reivindica, com base no numero de pessoas batizadas, um pouco mais de mil milhões de fiéis, ou seja, 55% dos Cristãos e 17% da população mundial. Todavia, o seu crescimento é inferior ao da população mundial. Esse número coloca-o atrás do islão, mas pode também considerar-se que as diferentes confissões cristãs formam apenas de mil e oitocentos milhões de fiéis, assim como o número global de mulçumanos agrupa sunitas, xiitas, etc.” (“As Grandes Religiões do Mundo”, Dominique Chivot, pg. 158, 169-170)

A origem da Igreja católica remonta a três possíveis data:
(1) Quando Cristo passou autoridade de Sua Igreja a Pedro, Apóstolo Principal, no ano 33-36 d.C.
(2) Quando o imperador Constantino em 313 d.C. faz do Cristianismo religião oficial do Império.
E (3) com o cisma do Ocidente em 16 de Julho de 1054: quando a Igreja do Oriente (Igreja Ortodoxa) e a Igreja do Ocidente (Igreja Católica) se dividiram.

A primeira data só é correta para alguns católicos fervorosos, pois não existe indicio histórico de que Pedro tenha sido realmente o primeiro papa (nos moldes característicos da Igreja católica), conforme se discutirá posteriormente. A segunda data também é controversa, pois quando Constantino decretou que o cristianismo era a nova religião oficial do Império Romano, o Cristianismo possuía elementos diversos do catolicismo atual. O Grande Cisma é a data mais aceita pelos teólogos e historiadores como sendo a origem da Igreja Católica, pois foi a partir desta ocasião que a primazia papal e dogmas mais recentes foram estabelecidos. “A história [da igreja católica] começa em 16 de Julho de 1054: o Cisma do Ocidente remata séculos de mal-entendidos políticos e querelas teológicas.” (“As Grandes Religiões do Mundo”, Dominique Chivot, pg. 131).

 Ao estudar a Igreja Católica podemos verificar muitos elementos que são comuns em outras religiões cristãs. Sua história é cheia de intrigas e fatos curiosos. Grande pensadores surgiram endossando ou criticando os dogmas católicos. Analisaremos a Igreja católica nos seguintes aspectos (quando as próximas postagens forem publicadas haverá links abaixo):
  1. História da Igreja Católica
  2. Geografia e Implantação
  3. Instituições e Estrutura
  4. Ritos e Práticas
  5. Doutrinas e Dogmas
  6. Catolicismo e Mormonismo
              Como membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias estudar o catolicismo é uma maneira sadia de aproximar-se de muitas pessoas de nosso Brasil e compreender grandes questões teológicas e históricas. Espero que este estudo seja proveitoso para todos os que lerem este blog.

______________________


[2] “Santo Antônio é nome de 236 municípios, como, por exemplo, Santo Antônio das Missões (RS), Novo Santo Antônio (MT) e Barra de Santo Antônio (AL). São João está presente no nome de outras 220 como São João Nepomuceno (MG), São João do Araguaia (PA) e São João do Sul (SC). Já São Francisco batiza 127 cidades, como Amparo de São Francisco (SE), São Francisco do Conde (BA) e Barra de São Francisco (ES).” Fonte: http://7a12.ibge.gov.br/voce-sabia/curiosidades/cidade-com-nome-de-santo

[3] “Cristo Redentor” http://pt.wikipedia.org/wiki/Cristo_Redentor

Postagens mais visitadas deste blog

Uma ponderação sobre a excomunhão de uma Autoridade Geral

Com grande tristeza, por meio do porta-voz da Igreja, Eric Hawkis, soubemos de que James J. Hamula foi excomungado da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Veja a notícia no site oficial da Igreja aqui. James J. Hamula [1] serviu por quase nove anos como uma Autoridade Geral da Igreja, um membro do Quorum dos Setentas. Fazia 28 anos que nenhuma Autoridade Geral era excomungada da Igreja. Certamente a notícia é triste [2], mas ensina lições importantes – que em vez de abalar, podem fortalecer a fé na obra de Deus. Recomendo a leitura deste artigo antes de prosseguir: https://mormonsud.net/voltando-a-igreja/pensamentos-sobre-a-excomunhao/

OS LÍDERES NÃO SÃO PERFEITOS, MAS A OBRA DE DEUS É Fiquei um pouco aborrecido com o sensacionalismo criado em torno da notícia da excomunhão do irmão Hamula. Sei que é algo incomodo, até perturbador. Alguns ficaram preocupados com a imagem da Igreja, outros, mais sensíveis, com a exposição do irmão Hamula e de sua família. Evidentemente n…

Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?

Joseph Smith é o Profeta da Restauração. Quando era apenas um jovem, um anjo lhe disse que seu "nome seria considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que entre todos os povos se falaria bem e mal de [seu] nome." [1]
Não é de se admirar que falem tão mal sobre o Profeta. Comentando sobre isso, o Elder Neil L. Andersen, do Quorum dos Doze Apóstolos, disse:
“Seria de estranhar o mal que é falado contra ele [Joseph Smith]? Do Apóstolo Paulo foi dito que era louco e delirava. Nosso Amado Salvador, o Filho de Deus, foi rotulado de comilão, beberrão e endemoniado. O Senhor disse a Joseph, quanto a seu destino:
“Os confins da Terra indagarão a respeito de teu nome e tolos zombarão de ti e o inferno se enfurecerá contra ti;
Enquanto os puros de coração e os prudentes (…) e os virtuosos procurarão (…) bênçãos sob tuas mãos constantemente”.
Por que o Senhor permite que o mal seja falado ao mesmo tempo que o bem? Um dos motivos é que a oposição às coisas de Deus …

Nepotismo e o Evangelho de Jesus Cristo

Nepotismo é definido como favorecimento de parentes em cargos de responsabilidade. Uma pessoa que possui determinada posição ou cargo de poder beneficia os que possuem vínculo de parentesco - com um emprego, um cargo, um função, uma posição de destaque ou uma responsabilidade. Trata-se de uma prática ruim, pois geralmente desconsidera o mérito e os talentos para levar em consideração os laços familiares.


O evangelho de Jesus Cristo - que é o Plano de Deus para salvação do homem - ensina que todos os homens são iguais perante Deus (Jó 34:19, Atos 10:34, D&C 38:16 e 26) - irmãos e irmãs - porém, possuem talentos diferentes  (Mateus 25:15) - de modo que podem contribuir no Reino de Deus de maneira diversa (1 Coríntios 12:12-27).

Deus organizou Sua Igreja com diversos cargos para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, [para que] todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida …