Pular para o conteúdo principal

Anarquismo e Evangelho

TEXTO: LUCAS GUERREIRO

Não pretendo fazer um estudo completo sobre o anarquismo e o evangelho, mas apenas traçar algumas linhas de consideração que permitirão, especialmente os jovens, entenderem que o evangelho não combina com o anarquismo, e, portanto deve ser refutado.

O anarquismo prega uma ordem sem sistema de governo, sem Estado, sem autoridade. A maioria dos anarquistas diz que a verdadeira liberdade humana advirá com o total desprendimento dos sistemas jurídicos, religiosos e legais. Eles também defendem que a religião e a moralidade (tal como conhecemos) deverão ser totalmente extintas para que haja paz, igualdade e liberdade.

Há um ponto de verdade na teoria do anarquismo, pois em uma condição Celestial não há necessidade de Estado. Quando a Terra for celestializada seremos todos iguais e participantes do dom celestial (semelhante aos nefitas de 4 Néfi 1:3). Cristo ainda será nosso Rei Eterno, mas seremos como Ele, reis e sacerdotes para sempre – portanto, pode-se dizer que não haverá Estado-Soberano, pelo menos não como conhecemos hoje – com sistemas hierárquicos, autoritários e burocráticos.

O anarquismo, todavia, esta longe de ser celestial! Ele só funcionaria se todas as pessoas fossem puras, santas e justas, com desejos abnegados e bondosos umas para com as outras. Mas não é assim. Nesse estado mortal todos pecam (Romanos 3:23). O homem natural procura satisfazer seus próprios desejos egoístas, em vez de trabalhar pelo bem dos outros. Além disso, devemos lembrar que "nós cremos que os governos foram instituídos por Deus em benefício do homem; e que ele considera os homens responsáveis por seus atos em relação aos mesmos, tanto na formulação de leis como em sua execução, para o bem e segurança da sociedade" (D&C 134:1)

A ideia de "plena liberdade" proposta pelo anarquismo é muito bonita na teoria, mas totalmente equivocada na prática. A verdadeira liberdade sempre é acompanhada de responsabilidade e compromisso. E tal responsabilidade se fundamenta sobre a obediência a princípios eternos e verdadeiros.  É por isso que Paorã escreveu ao capitão Morôni dizendo que sua alma permanecia "firme nessa liberdade com a qual Deus nos fez livres" (Alma 61:9). O Senhor também nos instou a permanecer na "liberdade que vos faz livres" (D&C 88:86). Permanecer livre na liberdade só é possível se obedecermos a Deus. Ele disse: "Eu, o Senhor Deus, liberto-vos; portanto sois verdadeiramente livres. E a lei também vos liberta" (D&C 98:8). As nossas "leis da terra", embora imperfeitas, garantem a proteção à direitos fundamentais: como a vida, a liberdade, o direito de ir e vir, etc. Em um mundo desigual as leis humanas oferecem segurança e garantia mínima.

O Presidente Joseph F. Smith disse: "Agora, estes são os mandamentos de Deus, e os princípios contidos nesses mandamentos do Grandioso e Eterno estão também na Constituição de nosso país, e em todas as leis justas. Joseph Smith, o profeta, foi inspirado ao fazer essa afirmação e a ratificá-la (...) Não podemos tolerar o sentimento anarquista. O anarquismo se espalhou até certo ponto e está se espalhando sobre esta "terra de liberdade". Nós não toleraremos isso! Os Santos dos Últimos Dias não podem tolerar um espírito como este. É a anarquia. E isso significa destruição. (...) Não podemos nos dar ao luxo de ceder a esse espírito ou contribuir para ele, nem mínimo grau. Nós devemos estar à frente como uma rocha, contra todo o espírito ou forma de desprezo ou desrespeito à Constituição de nosso país e as leis constitucionais de nossa terra." (Oct. C. R., 1912, pp. 8-11. The Laws of God And the Laws of the Landpg.) (Gospel Doctrine, pg. 404)

Antes de desprezarmos todo sistema legal, político e social que temos hoje deveríamos estudar a História com cuidado e ponderar um pouco em quanto sangue foi derramado para que tivéssemos garantido na Constituição e em Pactos Internacionais direitos essenciais ao bem-estar do homem. O mundo precisa melhorar muito, é verdade. Mas isso não ocorrerá por meio de uma súbita revolução que institui a desinstituição geral.

Houve civilizações que acabaram se destruindo inteiramente porque erroneamente não se submeteram a Seu Deus e desprezaram as boas tradições de seus pais e "leis da terra". Os nefitas, por exemplo, em certo ponto, "constituíam um povo obstinado, de tal modo que não podiam ser governados pela lei nem pela justiça, a não ser para sua destruição" (Helamã 5:3). E é isso o que acabou acontecendo: foram todos destruídos (Mórmon 6)

O Presidente Lorenzo Snow disse: "Tomem cuidado com os caminhos do mundo. Vós que estais labutando junto a milhões que, com o suor de seus rostos obtém o seu pão a cada dia, olhem e reconheçam o poder do alto que irá livrá-los da escravidão! O dia da vossa redenção se aproxima. Parem de desperdiçar o seu salário, pois é ele que lhes livra da miséria. Não considerem a riqueza como sua inimiga, nem seus empregadores como seus opressores. Busquem a união do capital e do trabalho. Sejam previdentes durante vossa prosperidade. Não se tornem uma presa de homens cujo designo é provocar contendas para os seus próprios fins egoístas. Lutem por seus direitos através de meios legais, e desistam da violência e da destruição. Anarquismo e ilegalidade são seus inimigos mortais. (1 de Janeiro de 1901, MFP, 3:334). (The Teachings of Lorenzo Snow, pg. 131)

O anarquismo excluí a noção de responsabilidade, responsabilidade até mesmo pela família. E sem a família o Plano de Deus esta destruído (e qualquer sociedade também).

“[O dom de discernir] as diversidades de operações [mencionado em Doutrina e Convênios 42] refere-se ao reconhecimento das diversas influências espirituais no cotidiano, por exemplo, como se manifestam no Espiritismo, no anarquismo, e nos numerosos outros "ismos". Para saber se uma influência [é benéfica] precisa-se do Espírito Santo." (Doctrine and Covenants Commentary, pg. 264)

Utilizemos, portanto, este sagrado Dom do Espírito para reconhecer que o anarquismo é uma filosofia falaciosa. O anarquismo é uma ideia diabólica e perversa, que nunca funcionou e nunca funcionará com sucesso. Estejamos atentos àqueles que visam destruir a liberdade da terra e incutir ideias errôneas em nossas mentes.

Postagens mais visitadas deste blog

Uma ponderação sobre a excomunhão de uma Autoridade Geral

Com grande tristeza, por meio do porta-voz da Igreja, Eric Hawkis, soubemos de que James J. Hamula foi excomungado da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Veja a notícia no site oficial da Igreja aqui. James J. Hamula [1] serviu por quase nove anos como uma Autoridade Geral da Igreja, um membro do Quorum dos Setentas. Fazia 28 anos que nenhuma Autoridade Geral era excomungada da Igreja. Certamente a notícia é triste [2], mas ensina lições importantes – que em vez de abalar, podem fortalecer a fé na obra de Deus. Recomendo a leitura deste artigo antes de prosseguir: https://mormonsud.net/voltando-a-igreja/pensamentos-sobre-a-excomunhao/

OS LÍDERES NÃO SÃO PERFEITOS, MAS A OBRA DE DEUS É Fiquei um pouco aborrecido com o sensacionalismo criado em torno da notícia da excomunhão do irmão Hamula. Sei que é algo incomodo, até perturbador. Alguns ficaram preocupados com a imagem da Igreja, outros, mais sensíveis, com a exposição do irmão Hamula e de sua família. Evidentemente n…

Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?

Joseph Smith é o Profeta da Restauração. Quando era apenas um jovem, um anjo lhe disse que seu "nome seria considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que entre todos os povos se falaria bem e mal de [seu] nome." [1]
Não é de se admirar que falem tão mal sobre o Profeta. Comentando sobre isso, o Elder Neil L. Andersen, do Quorum dos Doze Apóstolos, disse:
“Seria de estranhar o mal que é falado contra ele [Joseph Smith]? Do Apóstolo Paulo foi dito que era louco e delirava. Nosso Amado Salvador, o Filho de Deus, foi rotulado de comilão, beberrão e endemoniado. O Senhor disse a Joseph, quanto a seu destino:
“Os confins da Terra indagarão a respeito de teu nome e tolos zombarão de ti e o inferno se enfurecerá contra ti;
Enquanto os puros de coração e os prudentes (…) e os virtuosos procurarão (…) bênçãos sob tuas mãos constantemente”.
Por que o Senhor permite que o mal seja falado ao mesmo tempo que o bem? Um dos motivos é que a oposição às coisas de Deus …

Nepotismo e o Evangelho de Jesus Cristo

Nepotismo é definido como favorecimento de parentes em cargos de responsabilidade. Uma pessoa que possui determinada posição ou cargo de poder beneficia os que possuem vínculo de parentesco - com um emprego, um cargo, um função, uma posição de destaque ou uma responsabilidade. Trata-se de uma prática ruim, pois geralmente desconsidera o mérito e os talentos para levar em consideração os laços familiares.


O evangelho de Jesus Cristo - que é o Plano de Deus para salvação do homem - ensina que todos os homens são iguais perante Deus (Jó 34:19, Atos 10:34, D&C 38:16 e 26) - irmãos e irmãs - porém, possuem talentos diferentes  (Mateus 25:15) - de modo que podem contribuir no Reino de Deus de maneira diversa (1 Coríntios 12:12-27).

Deus organizou Sua Igreja com diversos cargos para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, [para que] todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida …